domingo, março 19, 2006

Teresa Balté

Autodidáctica

Contantemente aprende, conhece-te, define-te, sê persistente, procura o teu caminho, só teu, o autêntico; não te desvies, não te enganes a ti mesmo, não imites os outros nem te imites, se ouvires o chamamento não te escondas, segue a voz em ti, ousa-te. Como dizer "sê tu" sensatamente? Como prever catástrofes futuras? Confia; nada tens a perder senão a vida, e se foste tu não te perdeste. Mas se entretanto te descobrires poeta, não te deixes vencer pela melancolia.

(Um dos textos sob o título "Brevíssimas para o que não será Uma Carta a um Jovem Poeta", no JL 924 de 1 de Março de 2006. Teresa Balté publicou agora Poesia Quase Toda nas ed. Asa.)


Digo eu: tão difícil, tão difícil...

1 comentário:

O'Sanji disse...

Ontem mesmo estive com o livro da Teresa Balté na mão. Decidi-me por outro: Obra Poética, do David Mourão-Ferreira. ;-)
Bj