quinta-feira, junho 30, 2005

Amor

No amor procuramos uma redenção por via do ser amado (do que sentimos ser uma vida interior pobre e medíocre).
É um erro.
Nunca há redenção nenhuma.
O que existe realmente são dois seres que se sentem (sentiram) insuficientemente amados. Durante toda a vida.
A ilusão de que o outro nos vai livrar dessa condenação alimenta o desejo do amor e, ao mesmo tempo, tragicamente liquida o amor.

2 comentários:

Maria Heli disse...

"É que o amor
Seja lá o que isso for
é sempre uma mistura
de feitiço e de ternura
com um pouco de suor"...



Uma música linda que te recomendo! Do CD Filármónica do Gil, agora editado.

abraço

sofia disse...

Não pode ser, Rui. Talvez seja o mais comum, mas não é suposto ser assim. Não pode ser. Não pode.