domingo, setembro 11, 2005

Não gosto de mim.
No fundo de tudo, por detrás de tudo, para além de tudo, há este desgosto indelével por mim próprio.
Não se consegue obrigar ninguém a gostar de quem quer que seja.
Todavia, posso desejar-me bem: que seja feliz, que fique livre da dor e da doença, que me realize na vida e não ao lado dela, ...
Conseguirei então fazer escolhas mais autênticas e abertas de possíveis.

12 comentários:

Lilly Rose disse...

NÃO PODES DIZER ISSO. Andas triste e deprimido e pegaste num ângulo qqr menos favorável - de lado ao espelho, ou logo demanhã com olheiras... :)

O fim das relações deixa um vazio enorme mas meu caro caríssimo Rui, essa dor vai acalmar e vais sarar. porque sim. porque é sempre "porque sim". porque tem de ser e porque mais tarde é que se consegue dar um sentido ao "destino". e porque vão sempre existir momentos bestialmente bons.

QUE HISTORIA É ESSA DE QUE NÃO GOSTAS DE TI? porque ela talvez não goste tanto quanto desejavas? ora, rapaz! ainda me zango!

beijo grande

Angela disse...

Às vezes também não gosto lá muito de mim. Mas depois passa. É normal, é humano. Depois fazemos festinhas a nós mesmos e passa. :)

Ana Psília disse...

Outra vez???
Parece que as férias não te fizeram bem.
Deixa, que daqui a uns dias já gostas mais de ti, ou menos de nós....

Ana Psília disse...

....e mais, como dizia o anúncio, "se eu não gostar de mim, quem gostará?"

Lyra disse...

costumo dizer que sou a minha "pior e unica inimiga" ...mas vou-me dando tréguas de vez em quando. Convem baixares armas. A ti próprio.

Rui disse...

Minhas queridas amigas, não sei se vou conseguir dizer coisa com coisa porque não estou a conseguir ler muito bem o que escrevo. É que depois de ter lido os vossos comentários surgiu uma neblina persistente (mais tipo chuva) que, por mais que eu esfregue os olhos, persiste em baralhar a minha visão do que vou teclando... ;)
Sabem, desde que me lembro que tenho este desgosto e toda a minha vida tive de lidar com ele. O que originou o meu post foi ter encontrado agora mais uma maneira eficaz de o combater (reparem, eu há uns 5 anos que faço meditação) e é nesse contexto que escrevi o post: dar notícia dessa minha descoberta.
Agora que ando muito triste, ando, claro, mas eu sei que vai passar.
A todas vocês, Lilly Rose, Ângela, Ana Psília, Lyra, um grande beijinho (bolas, lá está outra vez a neblina!) de obrigado pelas vossas palavras. :)

Didas disse...

Claro que gostas. Às vezes nós andamos é chateados com quem gostamos, nomeadamente connosco.

Angela disse...

:)
Quando for grande, quero aprender a meditar. ;)

sofia disse...

Não gostes, não. Há quem goste! :) Tonto! :) (Ele precisa é de mimo, vê-se logo :) )

Maria Heli disse...

Olá Rui :)
obrigada por aquelas tuas outras palavras!
Destas não gostei nada! Espero que ali, a Sofia, tenha razão e que isso não passe de mimo.

Estava com saudades de passear por aqui! Vou passear mais.

bjo e ...obrigada, mais uma vez.

Rui disse...

Bem, vocês têm de ter cuidado com os efeitos perversos da vossa simpatia comigo: é que eu já começo a pensar que tenho de escrever mais posts deste género :)))! Claro que estou a brincar, sinto-me é muito comovido com todo o vosso apoio, agora também da Didas, da Sofia e da Maria Heli (bem-vinda!) :)! Bjs a todas e, mais uma vez, obrigado!

Anónimo disse...

EU GOSTO MUITO DE TI E, EMBORA TE CONHEÇA HÁ POUCO TEMPO E PAREÇA SER DESDE HÁ MUITO TEMPO, SEI QUE TENS MOTIVOS PARA GOSTARES DE TI!