domingo, julho 02, 2006

Das vitórias no futebol

Coisa singular, esta do futebol!

Nem Portugal, nem os portugueses ganham o que quer que seja com as vitórias (nem, já agora, com as derrotas) da Selecção.

(E não me venham com a história da auto-estima: já tivemos exemplos da ineficácia desse tipo de coisas - Expo 98, Euro 2004, etc - para a dita auto-estima. É que esta só cresce se for devido a conquistas nossas, não às de outros.)

Os únicos que ganham com essa vitórias são os próprios jogadores e o treinador, dado que elas lhes permitem prémios fabulosos e contratos ainda mais milionários do que os que já têm. Além de um reconhecimento que, nem por ser efémero, deixa de ser sumamente agradável.

(Principalmente, quando se chega ao extremo de lhes chamar heróis... Heróis!? Será que já perdemos de todo o sentido das proporções?)

Daí que, ao olhar para os milhares de portugueses que se entregam a estes delírios de alegria, não posso deixar de me comover.

Porque olho para estas pessoas que pagam os tais ordenados e prémios milionários a esses jogadores (e a mais uns abutres do futebol), cujo futuro está a ser destruído pelas actuais chefias deste país (ausência de reformas, mais horas de trabalho, menos apoios sociais, perseguições por serem competentes e não terem "amigos" bem colocados, etc, etc) e que, apesar disso, aderem sem reservas a uma felicidade e a uma alegria enormes. Por feitos de cujos lucros nem uma delas vai beneficiar minimamente, como já disse atrás.

Acho isto estúpido. Mas comovente.

(Eu alegro-me com o treinador e com os jogadores que construíram estas vitórias, claro.
Não deixo nunca de lamentar os que perdem, em particular esta Inglaterra que contribuiu de forma assinalável para que a equipa portuguesa jogasse da forma admirável como o fez.
E admiro sem reservas o Ricardo, a sua discrição e o seu brilhantismo!)

2 comentários:

Anónimo disse...

Ora bem, concordo com algumas coisas que diz, em relação às victórias e conquistas pertenceram aos jogadores e treinador e que os "lucros" obtidos sejam exclusivamente para os mesmos, mas, e agora, isto é que considero importante; a maior parte dos portugueses aprendeu o hino!!!!! ainda que muitos considerem a "portuguesa" desactualizada, rude, violenta, etc. etc.. a grande parte dos portugueses partilha um momento, que é de curta duração, em que todos, supostamente, estão do mesmo lado. ainda que seja só por isso, já vale a pena a alienação acerca do que se continua a passar no nosso pobre país.

saudações cordiais.

Rui disse...

Concordo consigo.
Neste tempo em que há tanta desconfiança e agressividade entre as pessoas e as classes profissionais, este momento é uma pausa benvinda.
E mostra que é possível estarmos todos do mesmo lado, como refere, desde que haja um objectivo claro e a fé de todos em como é possível chegar a ele.
Vale a pena, sem dúvida.